Grupo que rever lei de zoneamento no Crato


                                                                               (Foto: Informativo Amadeu de Freitas)

 

Um grupo de pessoas passou a manhã desse sábado (13) colhendo assinaturas para revisão da Lei de Zoneamento, aprovada recentemente pela Câmara Municipal do Crato. A mobilização aconteceu nas praças e ruas centrais. Eles argumentam que a aprovação de lei alterando o dispositivo legal existente beneficia o setor imobiliário em detrimento da população. “Precisamos cuidar do nosso futuro e das novas gerações”, diz a professora universitária Clara de Paula, uma das participantes da mobilização.

O vereador Amadeu de Freitas (PT), que foi contrário ao projeto, observa que a política urbana do Crato sofreu um ataque com a aprovação dos projetos de lei de autoria do Executivo. “Além de permitir maior adensamento em áreas em que os estudos recomendam menor quantidade de habitantes por hectare e ainda reduzir a área do Crato no Distrito Industrial do Cariri, os projetos transformam Zonas Especiais Ambientais em Zonas Residenciais.


Em seu informativo parlamentar,  o vereador Amadeu revela que uma das Zonas Especiais Ambientais extintas é a do Parque do Rio Saco e Lobo,localizada no vale que divide os bairros Miradão e Santa Luzia. No período do inverno, a área é inundada, mas mesmo assim existe um empreendimento imobiliário.

Postar um comentário

0 Comentários