Acusado de tentar matar ex-namorada deve permanecer preso 

O juiz David Fortuna da Mata, em respondência pela Vara Única da Comarca de Lavras da Mangabeira (a 417 km de Fortaleza), negou pedido de liberdade para Antônio Rivanildo Rodrigues Lima. Ele está preso sob acusação de tentativa de homicídio contra a ex-namorada, em 23 de junho de 2014.
Segundo os autos (nº 48964-43.2014.8.06.0114/0), o crime aconteceu por volta das 2h15, quando Antônio Rivanildo se dirigiu ao Clube União, localizado no referido município, e encontrou a ex-namorada dançando com um rapaz.
Ele insistiu para que a moça fosse embora, mas não foi atendido. Inconformado, sacou um revólver e efetuou cinco disparos, dos quais três atingiram a vítima. Em seguida, Antônio Rivanildo fugiu do local. A mulher foi encaminhada para hospital e sobreviveu. Ainda de acordo com o processo, o crime teria ocorrido porque o acusado não aceitava o fim do relacionamento. Em depoimento na delegacia, ele disse que atirou porque se sentiu intimidado. Também explicou que efetuou os disparos por suspeitar que o acompanhante da mulher estava armado. O réu teve a prisão preventiva decretada em 13 de outubro de 2014.
A defesa pediu a revogação da prisão preventiva alegando que ele não voltaria a praticar o delito porque voltou a se relacionar com a vítima.
Ao analisar o caso no último dia 18, o juiz indeferiu o pedido. “Ante a tais provas produzidas, as quais tornam inequívoca a materialidade do delito, bem como a gravidade da conduta em si, bem como a necessidade de assegurar a aplicação da lei penal, adicionando-se a isto a conduta reprovável do acusado, faz-se imprescindível a manutenção da custódia cautelar do referido réu, para garantir a ordem pública, seja por conta da gravidade em concreto do delito ora exposto, seja para evitar a reiteração de novas condutas do mesmo gênero”. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico do último dia 29. 
Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará

Postar um comentário

0 Comentários