222 comunidades rurais cearenses receberão dessalinizadores

Mais de 220 comunidades rurais de 45 municípios cearenses receberão equipamentos para dessalinização de água de poços artesianos para consumo humano. Os recursos são do Programa Água Doce, do Governo Federal, e deverão beneficiar cerca de 80 mil cearenses que integram as chamadas “populações difusas” (pequenas comunidades situadas nas áreas rurais mais remotas dos municípios). Serão investidos R$ 44 milhões com recursos do Governo Federal e contrapartida do Tesouro Estadual. A ordem de serviço para o início das obras será assinada no próximo dia 19 pelo governador Camilo Santana.
Na manhã desta terça-feira (10.03), aconteceu a assinatura do III Pacto Nacional de Execução do Programa Água Doce, uma ação do Governo Federal coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente. O evento realizado no Ponta Mar Hotel, reunindo secretários de Recursos Hídricos dos nove estados nordestinos e de Minas Gerais, além de técnicos e coordenadores do programa.
Segundo o secretário dos Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, o “Água Doce” vem se somar a iniciativas já desenvolvidas pelo Ceará para atender às comunidades rurais que são comumente as mais carentes. “As comunidades atendidas são justamente aquelas mais vulneráveis, com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) menor, em municípios do sertão com baixas pluviosidades”, explica Teixeira. ”Esses equipamentos (dessalinizadores) se somam a outras iniciativas como as cisternas, pequenos açudes, barragens subterrâneas que têm sido implementadas para oferecer ao sertanejo de água de qualidade”.
Já o secretário Inácio Arruda, da Ciência, Tecnologia e Educação do Superior, que também participou do evento, ressaltou a importância do programa Água Doce , dizendo que a C&T precisa está a serviço das comunidades. “É preciso garantir que parte da nossa população, que nunca recebeu nada, tenha acesso a tecnologia, a produção e as riquezas do país”.
Para o coordenador Nacional do Água Doce, Renato Saraiva, “não se trata de um programa de obras, mas sim de um processo de implantação de políticas públicas perenes de acesso a água de qualidade”. “No total, serão beneficiadas até 2016, 1,2 mil comunidades em todo o Nordeste (à exceção do Maranhão) e em Minas Gerais. “Ressalte-se que os convênios não se limitam à construção e implantação dos sistemas de dessalinização, mas asseguram também recursos para a manutenção desses sistemas”, detalha.

Fonte: Secitece

Postar um comentário

0 Comentários