Começa a 7ª Guerrilha do Ato Dramático Caririense

Teve início neste final de semana mais uma edição da Guerrilha do Ato Dramático Caririense, em Juazeiro do Norte.  
Criada em 2009, a Guerrilha é um movimento de resistência cultural que procura estimular e fortalecer as artes cênicas caririenses, valorizando artistas e produções locais como importantes na consolidação da nossa identidade e praticando intercâmbio que não exclua nem minimize o nosso valoroso patrimônio cênico.
De acordo com o coordenador geral, Cacá Araújo, a edição 2015 acontece no Teatro Municipal Marquise Branca, Juazeiro do Norte-CE, sendo a primeira vez, em sete anos, que acontece fora do Crato, em virtude da interdição do Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva.
24 espetáculos, oriundos de Crato, Juazeiro, Barbalha, Iguatu, Campos Sales, Icó e Fortaleza (Ceará), Exu, Trindade e Recife (Pernambuco), e São Paulo (São Paulo), estão em cartaz na mais legítima vitrine das artes cênicas do Cariri, reforçando a luta em defesa de políticas públicas sintonizadas com as demandas dos artistas e provocando impacto positivo na cadeia da economia criativa da cultura.
A Guerrilha é reconhecida no cenário da cultura brasileira e de profunda significação no desenvolvimento das artes cênicas do Cariri. É indispensável à luta em favor da diversidade, respeito e afirmação da identidade cultural brasileira com o tempero da região.
A programação desse domingo (08/11) foi A Fadinha e a Natureza (Cia. Tábua de Pirulito, Crato-CE, Indicação: Infantil), às 16 horas e às 19 horas e 30 minutos, Um Bravo Canto para Desatar os Perversos Nós! (Confraria da Paixão, São Paulo-SP, Indicação: 14 anos).


Postar um comentário

0 Comentários