Crato e Juazeiro do Norte realizam eventos em alusão ao Dia Internacional da Mulher

Na manhã desta segunda feira (06.03), a Defensoria Pública do Ceará promoveu um evento em alusão ao Dia Internacional da Mulher na Praça Siqueira Campos, no município de Crato, na Região do Cariri. Foram ofertados à população orientação jurídica com defensores públicos, serviços de saúde, como aferição de pressão arterial, testes de HIV/AIDS e roda de conversa sobre saúde da mulher. As atividades aconteceram ainda nesta terça-feira (07.03) em Juazeiro do Norte na Casa de Mediação da Defensoria Pública do Estado.

De acordo com o defensor público e supervisor da Defensoria em Crato, José Aníbal de Carvalho Azevedo, “o objetivo da Defensoria Pública com este evento é conscientizar à população, principalmente às mulheres, sobre os seus direitos e promover uma cultura de paz e harmonia na sociedade. No primeiro semestre de 2016, foram 1.374 episódios de violência doméstica registrados nas cidades de Barbalha, Crato e Juazeiro do Norte. No entanto, esse número ainda não representa a totalidade porque temos 45 municípios na Região do Cariri. E aonde estão essas mulheres que sofrem violência doméstica e psicológica todos os dias e os órgãos responsáveis não tomam conhecimento?” , questiona Aníbal.
Além da orientação jurídica dos defensores, a Defensoria Pública contou com a parceria da Associação dos Defensores Públicos do Ceará (Adpec), do SESC, SENAC, Conselho da Mulher e Secretaria de Saúde do Município de Crato.
A Defensoria Pública Geral do Ceará é uma das instituições que integra a Rede de Apoio à Mulher e realiza toda a assistência jurídica por meio do Núcleo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, que atua na defesa dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica e familiar, prestando toda a assistência, com educação em direitos, orientação jurídica, ajuizamento de ações necessárias de acordo com o caso (alimentos, divórcio, dissolução de união estável, guarda, etc.), requerimento das medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha e encaminhamento para a rede de proteção existente no Estado e no Município.
Fonte: Defensoria Pública

Postar um comentário

0 Comentários