quarta-feira, 19 de abril de 2017

Compete à Frente Parlamentar realizar audiências públicas, palestras e outras atividades semelhantes, com a população, os gestores públicos, representantes da Igreja Católica, deputados, pesquisadores e universidades para discutir a beatificação do Padre Cícero.
O objetivo será:
a) estabelecer com criticidade os fatos históricos da vida de Padre Cícero;
b) demonstrar o modo como praticou as virtudes cristãs;
c) mostrar como os fiéis, consideram-no como um santo e, por isto, digno de veneração.
Composição: Membros
Deputada Fernanda Pessoa (PR)
Carlos Matos (PSDB), Walter Cavalcante (PP), Ely Aguiar (PSDC), Dr. Santana (PT)
Sineval Roque (PDT) e Daniel Oliveira (PMDB).
JUSTIFICATIVA PARA A CRIAÇÃO DA FRENTE:

Reverenciado em romarias que atraem mais de 2 milhões de pessoas por ano a Juazeiro do Norte (CE), o Padre Cícero Romão Batista foi reconciliado pela Igreja Católica após mais de um século de punição. A reconciliação foi anunciada no dia 13 de dezembro de 2015 por dom Fernando Panico, na época bispo da Diocese do Crato, que recebeu a carta do Vaticano, assinada pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano. Conhecido popularmente como Padim Ciço, ele foi afastado da Igreja Católica após o episódio conhecido como milagre da hóstia, ocorrido em 1889, no qual uma hóstia dada pelo padre a beata Maria de Araújo teria se transformado em sangue. Na época padres renomados e médicos não conseguiram explicar o fenômeno, o qual foi condenado como fanatismo popular por bispos e representantes da Igreja Católica no Brasil e no Vaticano. Em 1896, o Santo Ofício determinou que ele deixasse a cidade de Juazeiro do Norte, sob pena de ser excomungado. As punições se seguiram até 1926, quando o padre foi suspenso definitivamente pela Igreja, que lhe retirou as ordens. Ele morreu em 1934, aos 90 anos de idade. Apesar de ter sido impedido de confessar, pregar e administrar os sacramentos, além de celebrar missas, Padim Ciço se perpetuou como um grande líder do povo. Carismático e acolhedor, teve influência tanto na vida social como na política do povo de Juazeiro, onde foi o primeiro prefeito da cidade. Até hoje, 83 anos depois de sua morte, as manifestações de fé continuam levando multidões à cidade. “É por esta fé, e pelo desejo de milhares de fieis que iniciaremos a caminhada para a beatificação de Padre Cícero. Além de tudo, encheu de esperança e força a nossa gente que teve sua fé renovada”, disse Fernanda Pessoa. De acordo com dados da Datafolha, só 57% dos brasileiros ainda declaram que o catolicismo é sua religião, mas esse número sobe para 72% nos Estados nordestinos que tem em Padre Cícero a sua principal manifestação da fé.
AL-CE

0 comentários:

Postar um comentário